Presidente visita sede da UNESCO em Paris

0
156

O Presidente da República, João Lourenço, começa a sua primeira deslocação oficial a França com uma visita à sede da UNESCO, em Paris, onde vai encontrar-se com a directora-geral daquela organização das Nações Unidas, Audrey Azoulay.

A visita à UNESCO assume um significado particular, por ser a primeira que um Chefe de Estado angolano efectua à sede da organização, desde a proclamação da Independência, em 1975.
João Lourenço chegou ontem a França para uma visita oficial de três dias em companhia da Primeira-Dama, Ana Dias Lourenço, tendo sido recebido pelo embaixador francês em Angola, Sylvain Itté.
Na sede da UNESCO, o Presidente da República vai visitar uma exposição sobre as realizações, em Angola daquela organização das Nações Unidas. A UNESCO aceitou os processos de candidatura da cidade do Cuito Cuanavale (símbolo e referência para a paz na África Austral), do Corredor do Rio Kwanza e das Gravuras de Tchitundu-Hulu a património da humanidade.
Em Julho de 2017, a UNESCO já tinha declarado o centro histórico da secular cidade de Mbanza Kongo como Património Mundial da Humanidade, sendo o primeiro validado no país pela Organização da ONU para a Educação, Ciência e Cultura.
Resta agora às autoridades angolanas se empenharem nos processos dos três novos sítios propostos, para a obtenção de resultados positivos, e implementarem um programa de relançamento das indústrias culturais, de forma a gerar emprego e desenvolvimento sustentável na cidade do Mbanza Kongo. O ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto, espera que esta vista corresponda à estratégia de diversificação económica traçada por Angola e sublinhou as grandes prioridades da política externa do país. 
Frisou que Angola pretende sair da dependência do petróleo como sector mais visível da cooperação entre as duas nações, e apostar na agricultura, formação de quadros, entre outras áreas.
O ministro Manuel Augusto sublinhou o interesse de Angola e da França para o incremento da cooperação e espera “resultados concretos” que possam, nos próximos tempos, ganhar corpo com a troca de missões dos dois países, principalmente com acordos e contratos entre os empresários.
Precisou que serão discutidas as formas práticas e exequíveis para uma cooperação económica, financeira e de assistência técnica, estando prevista a assinatura de um acordo no domínio financeiro, a ser rubricado pelo ministro Archer Mangueira. 
Mas é o encontro com o Presidente francês, Emmanuel Macron, que está a gerar grande expectativa. 
Os dois Chefes de Estado vão encontrar-se hoje em privado, no Palácio do Eliseu, onde o Presidente angolano deverá ser homenageado com um almoço.

Destaque em revista
A visita do Presidente angolano a França merece espaço privilegiado na revista francesa “Valeures Actuelles”, que estampa uma fotografia a toda a largura da capa com o título “Angola a promessa da mudança.”
Por ocasião da visita, João Lourenço concedeu à revista uma entrevista publicada em três páginas, em que o Chefe de Estado angolano fala das mudanças que ocorrem no país, do combate à corrupção, da diversificação da economia e da cooperação entre Angola e França. A entrevista é publicada na edição referente à semana de 24 a 30 de Maio.
Amanhã, o Presidente da República desloca-se a Toulouse, a 680 quilómetros a sul de Paris, onde vai visitar as instalações da gigante europeia de aviação Airbus e manterá um encontro com a comunidade angolana, durante a qual vai transmitir uma mensagem de esperança aos angolanos que lá vivem. Os serviços consulares da Embaixada de Angola em França garantem que em Toulouse vive uma grande comunidade angolana. Estima-se que mais de vinte mil estejam dispersos em várias regiões do território francês. O número é significativo nas regiões de Paris e Lyon, segundo dados do embaixador de Angola em França, João Miranda.
As relações políticas, diplomáticas e de cooperação entre os dois países iniciaram a 17 de Fevereiro de 1976, ano em que a França reconheceu a Independência de Angola, culminando com a assinatura, a 26 de Julho de 1982, do Acordo Geral de Cooperação.
Angola e França desenvolvem cooperação nas áreas da saúde, águas, saneamento básico, ensino superior, formação de quadros, ciência e tecnologia, dos petróleos, transportes, comércio, indústria e das telecomunicações.
Angola e França partilham diversos interesses económicos. O comércio bilateral atingiu 1,4 mil milhões de euros em 2013, depois de se ter notado um abrandamento a partir de 2008. No início do ano seguinte, houve um recorde de 3,2 mil milhões de euros. Após a queda de 21 por cento em 2012 e 2013, as exportações francesas para Angola subiram novamente na ponta final de 2014.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here