Ex-funcionária de Michael Douglas acusa-o de se masturbar na sua presença

0
87

Uma ex-funcionária de Michael Douglas acusou-o esta sexta-feira de a ter assediado constantemente e de se masturbar na sua presença.O actor vencedor de dois Óscares nega.

Susan Braudy, jornalista e autora de dois livros, disse que sofreu com esta conduta abusiva durante a década de 1980, quando era encarregada do escritório em Nova Iorque da Stonebridge Productions, de Douglas.

“Achou que era o rei do mundo e que podia humilhar-me sem nenhuma repercussão”, revelou à NBC.

O alegado caso da masturbação ocorreu numa reunião de trabalho no seu apartamento em 1989, quando Douglas estava no auge da sua carreira, após protagonizar filmes como “Wall Street” e “Atracção Fatal”.

“Escorregou até ao chão, abriu o cinto, colocou a sua mão dentro da roupa interior e começou a acariciar-se. Eu estava com muito medo”, recordou.

Braudy – autora de vários livros e nomeada para um Pulitzer – assinalou que na sua experiência com Douglas lidou quase sempre com uma linguagem profana e sexual, com o actor a fazer comentários sobre a sua vida sexual, as suas amantes e observações degradantes sobre a aparência da então funcionária.

Douglas já tinha adiantado, na semana passada, numa “iniciativa preventiva”, que negava eventuais denúncias de assédio sexual.

“Nem sequer sei por onde começar, é uma mentira completa, uma invenção, não há nada de verdade nisso”, disse o actor à imprensa especializada.

“É extremamente doloroso”, continuou o filho de Kirk Douglas. “Não tenho esqueletos no armário nem há mais ninguém que esteja a fazer uma acusação semelhante. Não consigo perceber o motivo de, depois de 32 anos, isto sair agora”.

A actriz Catherine Zeta-Jones, com quem Douglas se casou no ano 2000, disse ao canal ABC que apoia “110%” os movimentos Time’s Up e #MeToo contra os abusos”, mas defendeu o marido.

“Michael fez esta declaração preventiva. Foi eloquente, falou com o coração, foi honesto, aberto e transparente. Agora tem de dar o passo seguinte para ver onde isto vai dar…”.

“Isto aconteceu há 30 anos ‘a.C.’, antes de Catherine”, brincou a actriz.

Uma onda de escândalos sexuais teve início em outubro em Hollywood, começando com denúncias de assédio, abuso e violência contra o outrora poderoso produtor Harvey Weinstein.

Personalidades como Kevin Spacey, Brett Ratner, Dustin Hoffman e Louis C.K. também figuram na longa e lista de agressores.

Recentemente, James Franco e Woody Allen negaram acusações contra eles.

O sindicato de produtores enviou aos seus mais de 8000 membros recomendações para evitar o assédio sexual na indústria.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here